Rádio Buscar

Mais de 50% das cidades de MS estão sob 'lei seca'

Assim, mercados deverão "lacrar as prateleiras ou achar alguma forma de seguir a legislação", como disse o secretário de Governo do estado.

Cb image default
Divulgação

O secretário estadual de Governo, Sérgio Murilo Mota, disse que os supermercados, mercados e locais que vendem as bebidas alcoólicas deverão encontrar alguma forma para que a determinação seja cumprida.

"Os mercados deverão colocar algum lacre ou adotar alguma forma para se adequar para atender a legislação. Isso vai de cada estabelecimento comercial. A regra está aí! Se não cumprir, o Ministério Público está pronto para tomar as providências", detalhou o secretário.

Sérgio Murilo também falou que a fiscalização será mais rígida e o a secretaria estadual de Segurança seguirá atuante nos municípios que contam apenas com as forças de segurança pública estaduais. "O secretário de Segurança vai adotar as medidas de fiscalizações. Estamos trabalhando junto com as prefeituras, vamos aumentar naqueles municípios que dependem exclusivamente do estado".

O secretário mencionou que o único local que será permitido o consumo de bebidas alcoólicas é dentro das residências. "As pessoas que saírem para jantar ou comer fora, não poderão beber bebida alcoólica. Quem quiser tomar, deve ingerir dentro de casa e se a pessoa tiver o produto, pois a venda estará proibida", disse.

Diante da restrição, Sérgio Murilo vê que o decreto ajudará na diminuição de festas clandestinas. O secretário falou que a situação em que Mato Grosso do Sul enfrenta, em relação à pandemia, exige medidas mais rígidas.

"O que o Prosseguir fez ao se deparar com esta crise, é fazer medidas para minimizar a situação crítica que os hospitais estão enfrentando, até mesmo para que estes hospitais consigam atender com a estrutura física que eles têm", finalizou Sérgio Murilo.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Tempo no momento