Rádio Buscar

Em Mato Grosso do Sul, programa Escola Segura, Família Forte reforça a segurança nas escolas

Cb image default

O programa Escola Segura, Família Forte, desenvolvido pelo Governo de Mato Grosso do Sul, por meio da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) tem realizado rondas ostensivas e preventivas em 60 escolas municipais e estaduais da Capital, com objetivo de garantir segurança para estudantes, professores e pais nos locais de ensino e aos arredores. O Programa é desenvolvido há mais de um ano, ao todo são 20 policiais militares e cinco viaturas, que atendem exclusivamente essas unidades de ensino.

Para se ter uma ideia o policiamento escolar que é desenvolvido pela Polícia Militar, realizou em 16 dias letivos do mês de fevereiro deste ano, na Rede Municipal de Ensino, 192 visitas à direção de escolas, três palestras e 97 abordagens fora do ambiente escolar. Já na Rede Estadual de Ensino em seis dias letivos, foram 78 visitas à direção de escolas, duas palestras, 56 abordagens fora do ambiente escolar, entre outras ações.

O Escola Segura, Família Forte já conquistou prêmio internacional por sua metodologia de trabalho.

O coordenador do projeto Escola Segura, Família Forte, Valson Campos, explica que com a ronda escolar e o contato direto dos diretores com a polícia o ambiente escolar se tornou mais seguro para os alunos, familiares e todo entorno da escola. Conforme avaliação feita com os dirigentes das escolas atendidas em relação à relevância do Programa para a sua unidade de ensino, a nota média é de 9,28.

“Hoje com o programa funcionando, podemos analisar algumas situações que aconteciam por falta de policiamento especializado, e agora com um projeto específico, com as viaturas caracterizadas e a interlocução de todas as policias, os resultados são excelentes. As atividades e ocorrências registradas durante o mês de novembro, por exemplo, nas escolas da rede estadual foram um total de 148 ocorrências prontamente atendidas”, destaca o coordenador.

Campos ainda explica que a meta tem sido atuar não só na resolução de delitos, mas também na prevenção. “Fazemos um papel preventivo; se tem ameaça de briga, que os pais ou professores informaram para a direção da escola, a ronda é acionada para fazer a segurança na saída dos alunos e não ter briga”, relata.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.