Rádio Buscar

Polícia impede festa que prometia rodízio de mulheres em casa de prostituição

Dono do local foi preso suspeito de exploração sexual. Segundo delegada, ele disse que 12 mulheres estariam disponíveis para 50 homens, que pagaram ingresso de R$ 300.

Cb image default
Imagem Ilustrativa

A Polícia Militar de Águas Lindas de Goiás, no entorno do Distrito Federal, impediu que uma festa que prometia rodízio de mulheres em uma casa de prostituição, fechando o local antes da chegada do público. De acordo com a Polícia Civil, o dono do estabelecimento foi preso suspeito de exploração sexual.

O G1 tentou contato com a direção do local, por telefone, mas as ligações feitas no fim da tarde desta quarta-feira (6) não foram atendidas.

A festa estava agendada para a noite de terça-feira (5). A delegada Ana Cristina Hasegawa, que deve investigar o caso, contou que 12 mulheres estariam disponíveis para fazer sexo com 50 homens. Cada convidado pagou R$ 300 pelo ingresso.

“Ainda vai ter uma investigação para ver se é comprovada exploração sexual. O delegado de plantão entendeu que sim e já determinou a prisão do responsável. O local é uma casa de prostituição e o dono confirmou tudo, assim como duas das mulheres que estavam lá e foram ouvidas. Elas disseram que estavam recebendo entre R$ 300 e R$ 400 pela noite”, explicou.

Ainda de acordo com Hasegawa, o panfleto de divulgação da festa estava circulando livremente por redes sociais. A Polícia Civil não encontrou menores no grupo de mulheres ou pessoas em situação de escravidão sexual.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.