Rádio Buscar

Turco é acusado de empurrar esposa grávida de penhasco por seguro de vida

Cb image default
Divulgação

O turco Hakan Aysal, de 40 anos, foi acusado de ter empurrado a esposa de um penhasco para matá-la e obter um seguro de vida no valor de US$ 74 mil (cerca de R$ 401 mil). Na época, a vítima estava grávida de sete meses.

O episódio que resultou na morte de Semra Aysal, de 32 anos, ocorreu há dois anos em Butterfly Valley, na província de Mugla, no sudeste da Turquia. Na ocasião, o casal tirava fotos até que a queda ocorreu.

A morte de Semra foi considerada uma tragédia, já que Hakan alegou que a mulher grávida havia se desequilibrado e caído a mais de 300 metros.

Mas o caso ganhou uma reviravolta e o turco acabou sendo preso em novembro do ano passado, depois que promotores apontaram que ele havia feito com antecedência um seguro de vida para a esposa, segundo o Hurriyet Daily News. Ou seja: o "acidente" teria sido na verdade um assassinato cometido por ele.

De acordo com o site 9news, pouco depois da morte de Semra, o acusado foi à seguradora para reivindicar o valor do seguro. Hakan foi questionado mais tarde pelas autoridades sobre um artigo presente na apólice, que estabelecia que ele seria o herdeiro dos milhares de dólares caso a parceira morresse.

Segundo o site britânico The Sun, o homem negou as acusações. "Não examinei muito a apólice. O banqueiro providenciou a papelada", alegou Hakan."Eu havia acabado de trazê-lo [o seguro] para minha esposa assiná-lo. Não sabia que existia tal artigo", disse.

O acusado ainda passará por julgamento para receber uma sentença, podendo ser de prisão perpétua se ele for considerado culpado.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Tempo no momento