Rádio Buscar

Colecionador de Itatiba tem mais de 300 ventiladores em casa: 'Um para cada cômodo'

Cleber Barbieri, de 18 anos, tem um canal de vídeos e faz parte de um grupo nas redes sociais sobre o assunto. Coleção conta com modelos de parede, teto, chão, coluna, antigo e novo.

Cb image default
Colecionador de Itatiba tem mais de 300 ventiladores em casa — Foto: Cleber Barbieri/Arquivo pessoal

Com o calor de mais de 30º C que tem feito nos últimos dias, cada um faz o que pode para se refrescar. No caso do auxiliar de escritório Cleber Barbieri, de Itatiba (SP), basta escolher um dos mais de 300 ventiladores da coleção que ele guarda com tanto carinho em casa.

São ventiladores dos mais variados modelos e com anos de fabricação diferente: de parede, teto, chão, coluna, antigo e novo. O mais velho é de 1923 e, segundo o dono, todos ainda funcionam.

Para não acumular tantas peças, o jovem, de 18 anos, conta que vende os mais novos ou repetidos. Além disso, se algum conhecido estiver precisando, ele doa um dos ventiladores dele para a pessoa.

Cb image default
Para não acumular tantas peças, o jovem vende os mais novos ou repetidos — Foto: Cleber Barbieri/Arquivo pessoal

Cleber gosta de mexer com ventiladores desde criança, mas o interesse em colecionar surgiu aos 15 anos enquanto ele assistia a vídeos no YouTube sobre como consertar o eletrodoméstico.

A coleção começou com os ventiladores da casa do jovem. Mas, com o tempo, ele foi pedindo as peças quebradas dos parentes, buscando em ferros velhos, ganhando de presente e comprando alguns. Até 2015 já tinha 40 ventiladores, mas nenhum é tão especial quanto um marrom de modelo antigo, o predileto de Cleber.

Cb image default

Troca de experiências

E o amor pelos ventiladores vai além da coleção: o itatibense tem um canal sobre o assunto no YouTube, que conta com 294 inscritos e 57 vídeos.

Além disso, Cleber faz parte de um grupo no WhatsApp e no Facebook com amigos que também colecionam ventiladores.

O grupo tem 16 pessoas e, de acordo com o rapaz, serve como uma troca de experiências. É através dele que os participantes tiram dúvidas sobre como consertar as peças e emprestam ou trocam ventiladores.

Cb image default
Itatibense gosta de mexer com ventiladores desde criança — Foto: Cleber Barbieri/Arquivo pessoal

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.