Rádio Buscar

Casal de idosos que se conheceram pelo Tinder

Sem pressa e com bastante parcimônia, os idosos namoraram por cerca de um ano até, enfim, oficializarem a união, numa cerimônia realizada no último sábado, 9.

Cb image default
Vitório e Neusa oficializam a união que começou no Tinder — Foto: Arquivo pessoal / Thais Corrêa

Ela é uma aposentada de 73 anos, de Votorantim (SP) – viúva, mãe de três filhos, avó de cinco e bisavó de outros sete.

Ele é um motorista particular de 77 anos, divorciado, tem uma filha e mora na praia.

Era mais ou menos desse jeito que Neusa Rodrigues Pereira e Vitório Willian Bassani se descreviam no Tinder, popular aplicativo de paquera – para todas as idades.

Neusa encontrou no aplicativo uma válvula de escape, uma maneira interessante de encontrar o amor, e de quebra, espantar a solidão. Ela havia se tornado viúva seis anos antes, e com o passar do tempo, sentia-se sozinha e carente, especialmente quando um dos filhos que morava com a idosa decidiu se mudar.

Cb image default
Vitório e Neusa oficializam a união que começou no Tinder — Foto: Arquivo pessoal / Thais Corrêa

Com a ajuda da tecnologia – e da sua neta de 14 anos, sem precisar sair de casa, ela pensou, seria muito mais fácil encontrar uma nova cara-metade. “Já tinha ouvido falar nessas coisas e pedi para a minha neta ajudar, para encontrar um negócio de arrumar namorado. Minha colega já tinha comentado e daí na hora peguei o jeito”, lembra.

“No início, 42 homens curtiram minha foto, mas não me interessei por nenhum. Depois, conversei com um, e não deu certo. Aí vi a foto do Vitório e resolvi mandar um like. Ele curtiu, mandou mensagem e começamos a conversar.”

Vitório curtiu daqui, Neusa curtiu acolá e pronto: deram “match”, isto é, ambos os perfis se mostraram interessados e ‘combinaram’. Sobre o crush, a aposentada dispara: “Logo no começo sabia que ia dar casamento”.

No entanto, a união dos dois demorou um pouco pra acontecer. Eles conversaram por oito meses, diariamente, até o esperado primeiro encontro. “Nunca ficamos sem nos falar. Ele me ligava umas dez vezes por dia, contávamos um ao outro o que fizemos de almoço e janta”, relembra Neusa.

Assim que o namoro virtual engatou, Vitório viajou por 200 quilômetros até Votorantim, no interior de São Paulo, para conhecer, finalmente, a sua futura esposa. Tecnologia e modernidade à parte, o primeiro encontro foi à moda antiga!

“Dois dos meus filhos vieram em casa para conhecê-lo. Conversaram com o Vitório, fizeram várias perguntas. Depois que todo mundo se conheceu ele voltou, porque não poderia dormir em casa, né”, diz.

Sem pressa e com bastante parcimônia, os idosos namoraram por cerca de um ano até, enfim, oficializarem a união, numa cerimônia realizada no último sábado, 9.

Cb image default
Casamento dos idosos reuniu familiares em Sorocaba — Foto: Arquivo pessoal / Thais Corrêa

Neusa vai passar uma temporada no litoral, onde o novo marido trabalha, e afirma estar muito feliz com a união. Sobre quem pretende utilizar a tecnologia para encontrar o amor, ela aconselha.

“Tem que ter prudência para encontrar uma pessoa. Vai com paciência que consegue, sim. Sempre com respeito, boa conversa e amizade.”

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.